Divulgação
Divulgação

Empresário sequestrado em São Paulo é resgatado no Paraná

Fazendeiro ficou 11 dias em cativeiro; polícia apreendeu coletes da PF, duas armas e prendeu quatro pessoas

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

09 de setembro de 2009 | 19h26

O empresário Gumercindo Ferreira Santos, de 83 anos, foi libertado pela polícia na noite de terça-feira de um cativeiro em Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba. Ele havia sido sequestrado no dia 27 de agosto em Itararé, no sudoeste paulista. Quatro pessoas que estavam no local foram presas.

 

O empresário, que é fazendeiro e dono de uma rede de supermercados, foi levado por sequestradores que invadiram sua casa, na região central de Itararé. O único segurança que protegia a residência foi rendido pelos bandidos - quatro homens e uma mulher. Testemunhas viram quando Santos foi colocado num Astra prata.

 

Na mesma noite, os sequestradores fizeram contato para pedir resgate, mas a polícia passou a monitorar as conversas. Assim que surgiu a suspeita de que o cativeiro estava no Paraná, a Polícia Civil paulista pediu apoio à polícia paranaense. A ação de resgate envolveu 25 policiais e pegou de surpresa os sequestradores, que não reagiram.

 

Foram presos no local do cativeiro Bruno Godoy Dodta, de 23 anos, Luiz Gustavo Munhoz Zonatto, de 21, uma adolescente de 17 anos e Valmir da Cruz, de 44 anos, suspeito de ser o chefe da quadrilha. No cativeiro foram apreendidos dois coletes da Polícia Federal e duas pistolas calibre .40, além de celulares, munição e dinheiro. 

 

O empresário, que tinha ficado num quarto pequeno, praticamente sem alimentação, estava debilitado e precisou de atendimento médico. Nesta quarta-feira, 9, ele foi ouvido pela Polícia Civil do Paraná e retornou para Itararé, na companhia de familiares. Santos é proprietário da rede de supermercados Cofesa, da Rádio Clube de Itararé e de uma empresa agropecuária, além de possuir negócios em Itapeva, Capão Bonito e Itapetininga, cidades da região.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.