Empresário intermediava cargas roubadas na zona norte de São Paulo

Acusado utilizava a própria transportadora para guardar o material roubado e revendê-lo a receptadores

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

07 Outubro 2011 | 01h25

SÃO PAULO - Sob acusação de intermediar, na função de atravessador, a negociação entre quadrilhas de ladrões de carga e quadrilhas responsáveis por receptar o material roubado, o empresário Alexsandro de Oliveira Claro, de 35 anos, dono de uma transportadora instalada numa travessa da Avenida Raimundo Pereira de Magalhães, em Parada de Taipas, na zona norte de São Paulo, foi preso, no final da tarde de quinta-feira, 6, no local de trabalho, por agentes da 3ª Delegacia de Repressão a Desmanches Ilegais (DRDesmanches) da Divisão de Investigações sobre Furtos e Roubos de Veículos e Cargas (Divecar), subordinada ao Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic).

 

Em frente ao galpão da empresa, os policiais, que já vinham monitorando os passos da quadrilha e de uma carreta Volvo roubada, detiveram também o motorista Paulo César Bernardi de Almeida, de 43 anos, e o ajudante Ronilson Soares de Campos, 44, apontado como um dos responsáveis pelos ataques nas estradas. O veículo, de R$ 400 mil, carregado com eletroeletrônicos - carga avaliada em R$ 370 mil - estava parado, pronto para ser descarregado. A mercadoria ficaria guardada na transportadora de Alexsandro, à espera dos receptadores, que iriam comprar das mãos do empresário e revender parte da mercadoria por meio de sites na internet.

 

Para tentar não levantar suspeita e ter certeza de que não eram acompanhados de perto, os criminosos, que roubaram a carreta na terça-feira, 4, na Rodovia Fernão Dias, em Mairiporã, Grande São Paulo, e abandonaram o motorista no Campo Limpo, zona sul da capital, após mantê-lo refém por algumas horas, deixaram o veículo estacionado primeiramente em uma das ruas de Guarulhos, cidade vizinha, e depois próximo à Ponte do Piqueri, na zona oeste de São Paulo, antes de levarem tudo para a frente da transportadora.

 

Com a prisão do empresário, do motorista e do ajudante, a polícia agora espera chegar a mais integrantes das quadrilhas envolvidas não só neste roubo, mas em outros que vêm sendo investigados pelo Deic.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.