Empresário envolvido em acidente com duas mortes na Imigrantes tem prisão decretada

Justiça entendeu que homem 'assumiu o risco de produzir o resultado fatal' ao dirigir em alta velocidade. Testemunhas falam que veículo disputava racha quando atingiu carro das vítimas

Marco Antônio Carvalho, O Estado de S.Paulo

10 de janeiro de 2018 | 16h33

SÃO PAULO - O empresário André Veloso Micheletti teve a prisão preventiva decretada pela Justiça nesta quarta-feira, 10, após se envolver em um acidente na Rodovia dos Imigrantes, na noite desta terça, que terminou com dois mortos (leia aqui a decisão). O Judiciário entendeu haver indícios de que Micheletti disputava um racha no momento do acidente e agiu de forma imprudente ao conduzir em alta velocidade, o que teria contribuído para a batida. A prisão não tem prazo para ser encerrada.

+ Acidente na Imigrantes deixa dois mortos e seis feridos

A decisão foi tomada pelo juiz Edson Nakamatu, da Comarca de São Bernardo do Campo. O magistrado sustentou que testemunhas infomaram que Micheletti dirigia a cerca de 200 km/h, “havendo a informação de que disputava ‘racha’, tendo colidido com outro automóvel, cujos ocupantes acabaram se ferindo gravamente, sendo que duas das vítimas vieram a falecer”. O empresário deverá responder pelos crimes de homicídio qualificado, tentativa de homicídio qualificado e direção de veículo com habilitação cassada.

“Há elementos suficientes de que o investigado teria assumido o risco de produzir o resultado fatal, pois tudo indica que desenvolvia velocidade incompatível e muito acima do permitido no local de intenso tráfego”, escreve Nakamatu na decisão tomada nesta quarta. 

Ele elencou as razões pelas quais decidiu pela prisão preventiva do motorista: além da reprovabilidade social da conduta e o clamor público causado, o magistrado disse que a prisão é necessária para “garantia da ordem pública, para conveniência da instrução processual e para assegurar a aplicação da lei penal” 

O acidente aconteceu na altura do Km 30 da rodovia, no sentido litoral-capital. Durante o suposto racha em que participavam um carro Mercedez, dirigido por Micheletti, e outro veículo não identificado, o empresário teria perdido o controle e atingido um veículo Ecosport, onde duas pessoas morreram. Duas crianças com idade de um e dois anos tiveram ferimentos graves, um no fígado e outro com problema pulmonar. Elas foram encaminhadas para hospitais da região. 

O Estado tentou contato com o advogado Wagner Roberto Ferreira Pozzer, que representou Micheletti na audiência de custódia, mas foi informado, em contato telefônico com o escritório Rubens Naves Santos Júnior Advogados, no qual ele trabalha, que ele se encontra de férias. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.