Empresário é baleado ao sair de shopping em Cotia

Em outro assalto na mesma noite, motoqueiro percebeu iniciativa dos ladrões, reagiu a tiros e conseguiu impedir a ação

CAIO DO VALLE/ JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

30 Dezembro 2011 | 03h01

Dois assaltos com tiroteios foram registrados em cerca de três horas entre o fim da noite de anteontem e o início da madrugada de ontem nas imediações da Rodovia Raposo Tavares. O primeiro ocorreu por volta das 22h30 perto do Shopping Granja Vianna, em Cotia, na Grande São Paulo; o outro, à 0h30, em um posto no Jardim Arpoador, na zona oeste da capital paulista.

Na primeira ocorrência, o empresário José Cláudio de Morais, de 36 anos, foi baleado na região do maxilar. Ele conduzia um Honda Civic quando, segundo a Polícia Civil, um tiroteio, por causa de uma tentativa de assalto, começou na saída do centro comercial.

Segundo a mulher do empresário, a administradora Silvana Morais, de 32 anos, o marido havia ido buscar a filha de 14 e uma amiga que estavam patinando no shopping. Ele relatou ter ouvido tiros logo que elas entraram no carro. Em seguida, viu outro automóvel vir em sua direção em marcha a ré e alta velocidade. Morais teria começado a buzinar, preocupado com uma colisão. Nesse instante, um criminoso, de dentro do carro, atirou nele. Morais foi levado por um segurança do shopping para um pronto-socorro. O empresário está fora de perigo, mas passou por cirurgia. "A bala entrou por uma bochecha e saiu pela outra. De sequela, felizmente, nenhuma. Só o trauma e os pontos."

Um argentino de 47 anos, que estava saindo do shopping com duas filhas e um genro, também teria se ferido. Ele caiu e teve ferimentos no ombro. Os criminosos fugiram.

Reação. No outro caso, três homens tentaram assaltar um posto de gasolina, mas foram impedidos por um motoqueiro, que abastecia no local. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública, ao perceber a intenção dos suspeitos, o motoqueiro sacou uma arma, atirou nas nádegas de um deles e dominou os outros. Um frentista acionou a Polícia Militar, que deteve o trio. O motoqueiro fugiu e seu paradeiro era desconhecido até ontem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.