Empresário bate Porsche em cinco carros e fere motociclista em SP

Motorista fugiu do local sem prestar socorro à vítima, que está internada em estado grave; teste do etilômetro deu negativo

Juliana Diógenes, O Estado de S. Paulo

18 Abril 2015 | 17h46

O empresário Cláudio Lysias Spina, de 45 anos, foi preso em flagrante após bater o Porsche Cayenne de cor branca em cinco veículos e ferir um motociclista na Mooca, zona leste de São Paulo, por volta das 20h30 desta sexta-feira, 17. A polícia informou que o empresário não apresentou sinais de embriaguez no teste do etilômetro. 

Spina dirigia em alta velocidade e na contramão pela Rua Celso de Azevedo Marques, quando colidiu em um Corolla preto dirigido por um corretor de seguros de 64 anos. O motorista do Porsche bateu, em seguida, em uma motocicleta pilotada por um gerente de 20 anos. Com o impacto, o jovem foi arremessado contra um Uno de cor prata, conduzido por um motorista de 36 anos. O empresário fugiu do local sem prestar socorro à vítima, que foi levada para o Hospital de Heliópolis, onde está internada em estado grave. A Polícia não divulgou o nome do motociclista. 

Depois, Spina bateu ainda em um EcoSport estacionado, que, com a força do choque, acabou colidindo contra um Celta, também parado. O motorista do Porsche desceu do automóvel e continuou a fuga a pé, sendo parado por algumas pessoas em uma rua próxima. À Polícia, o empresário disse que socorria seu primo, um administrador de 40 anos, que estava no veículo e passava mal. Spina contou que bateu no primeiro veículo e na moto ao tentar desviar de um carro, que o forçou a jogar o Porsche na contramão. 

O empresário afirmou não ter prestado socorro à vítima porque temia ser agredido pelas pessoas que estavam no local. O motorista do Porsche foi submetido ao teste de etilômetro, que teve resultado negativo. Embora não tivesse sinais de embriaguez, a Polícia Civil informou ter solicitado, “por cautela”, o seu encaminhamento ao Instituto Médico-Legal (IML) para exame de alcoolemia. A polícia pediu ainda a perícia local. 

O caso foi registrado no 56º Distrito Policial (DP), da Vila Alpina, como lesão corporal culposa na direção de veículo automotor, colisão, omissão de socorro, fuga de local de acidente, direção perigosa de veículo na via pública e perigo para a vida ou saúde de outrem. O motorista do Porsche está preso na carceragem do 31º Distrito Policial (DP), na Vila Carrão. O veículo foi liberado para a família.

Mais conteúdo sobre:
Acidente Porsche Cayenne Mooca

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.