Empresa promete solução e põe telefone à disposição de morador

Presidente diz que edifícios serão demolidos e terrenos, revistos: 'Vamos tirar lixo, cortar o mato e trocar tapumes'

Rodrigo Brancatelli, O Estado de S.Paulo

31 Janeiro 2011 | 00h00

O Metrô de São Paulo pediu uma revisão completa dos imóveis e terrenos desapropriados nos bairros de Santo Amaro, Brooklin, Campo Belo e Moema, na zona sul, para detectar e evitar os pontos de degradação. Segundo o presidente da companhia, Sérgio Aveleda, a situação de abandono já foi notada pelo Metrô, que agora procura remediar o problema o mais rápido possível. "Temos uma preocupação imensa com esses imóveis e vamos zelar para que não fiquem degradados", afirma. "Os edifícios vão ser demolidos, e rápido, para evitar invasões. Já os terrenos estão passando por uma revisão completa, vamos tirar o lixo, cortar o mato e trocar tapumes."

Segundo ele, há vigilância 24 horas nos endereços desapropriados. "São 23 postos de segurança, sendo 11 fixos", diz. "Também estamos colocando à disposição dos moradores um telefone da Ouvidoria do Metrô, o (11) 3371-7304, para receber denúncias. Assumimos a responsabilidade por esses imóveis e não vamos permitir a degradação."

Quanto à licitação, Aveleda explica que a obra é prioridade. "Temos de esperar os prazos legais, mas a Linha Lilás tem prioridade total. Só que inaugurar inteira até 2014 é impossível. Talvez algum trecho."

PARA LEMBRAR

Com oito quilômetros, o trecho inicial da Linha 5-Lilás foi entregue em 2002, 12 anos após o anúncio do projeto. As obras de extensão começaram em agosto de 2009. Durante escavações, uma surpresa: foram encontradas quase 2 mil peças dos séculos 18 e 19.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.