Empresa é acusada de lesar taxistas em São Paulo

Proprietário comprava carros com cheque sem fundo e não entregava alvarás de táxi vendidos por R$ 58 mil

Elvis Pereira, do estadao.com.br,

14 de setembro de 2007 | 20h11

Pelo menos 16 pessoas registraram nesta sexta-feira, 14, queixas no 77º Distrito Policial, da Santa Cecília, contra uma empresa de venda de veículos e alvarás de táxi, situada na Rua Vitorino Carmilo, na Barra Funda, zona oeste de São Paulo.   Entre a série de denúncias, o proprietário da loja é acusado de usar cheque sem fundos na compra de automóveis e de não entregar as permissões, negociadas por até R$ 58 mil.   A polícia não localizou, por enquanto, o dono do estabelecimento, de 52 anos. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o prejuízo provocado por ele pode chegar a R$ 550 mil.   Na manhã desta sexta, 14, os denunciantes foram à loja, mas a encontraram vazia.   Em entrevista à Rádio CBN, um filho de um taxista comentou que havia vendido um carro e usado a herança recebida pela mãe para adquirir o documento.   "Meu pai já conhecia essa empresa porque ela estava há 30 anos no mercado. Compramos o alvará, pagamos R$ 58 mil e na data de fazer a transferência a empresa estava vazia."

Tudo o que sabemos sobre:
Alvará de TáxiSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.