Empresa delatou cartel de licitações de trens

Cade e PF investigam esquema que teria fraudado concorrências em Brasília e São Paulo; denunciante ganhou imunidade no processo

O Estado de S.Paulo

14 de julho de 2013 | 02h04

A empresa alemã Siemens delatou ao governo brasileiro um esquema de formação de cartel, do qual fez parte, em licitações dos metrôs e trens de São Paulo e Distrito Federal. A informação foi publicada pela Folha de S. Paulo.

A denúncia da Siemens faz parte de um acordo de leniência. Funciona de maneira parecida com o sistema de delação premiada. Em troca, ela ganha imunidade no processo. Enquanto isso, as outras empresas podem ser punidas. O esquema envolveria também as multinacionais Alstom, Bombardier, Mitsui e CAF, de acordo com a reportagem da Folha de S.Paulo.

O Estado noticiou no dia 6 que a Polícia Federal e a Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) apuravam a formação do cartel em concorrências para manutenção do metrô de Brasília e em ao menos cinco licitações em São Paulo, entre Metrô e Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

A suspeita é que as multinacionais se reuniam para combinar com antecedência o resultado das licitações e, dessa maneira, faturar de 10% a 20% além do preço correto.

e que "está colaborando com as autoridades". O Estado também procurou responsáveis pela Bombardier, CAF e Mitsui no início da noite de ontem, mas não localizou nenhum responsável pelas empresas para se pronunciar sobre o caso.

Apuração. O governo do Estado de São Paulo havia afirmado, no dia 5, que a Corregedoria-Geral da Administração solicitaria cópia do inquérito ao Cade, com o objetivo de apurar eventuais irregularidades que possam ter lesado empresas públicas estaduais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.