Empregada morre durante velório de patroas

Mulher sofre parada cardíaca no banheiro do velório municipal, é socorrida, mas não resiste

Cláudio Dias, especial para o Estadão,

07 de novembro de 2007 | 18h47

O acidente envolvendo as gêmeas de Matão, ocorrido em Araraquara, a 270 quilômetros de São Paulo, na segunda-feira, 5, deixou uma terceira vítima: a empregada da família. Márcia de Fátima Pinheiro da Silva Cândido, de 41 anos, sofreu parada cardíaca e morreu dentro do velório municipal de Matão, na terça. Ela trabalhava com a família havia quatro anos e, mesmo cansada, após retornar de uma viagem a São José do Rio Preto, permanecia no local e sem ver o corpo das jovens.   Ela teve a parada dentro do banheiro e chegou a ser socorrida por um filho até morrer a caminho do hospital. As irmãs Karina da Silva Dellaquila e Juliana da Silva Dellaquila, 21, morreram ao perder o controle do carro, rodar na pista e bater lateralmente contra um poste de madeira. Juliana era casada e tinha uma filha de dois anos.   As duas cursavam Fisioterapia e viajavam todos os dias até Araraquara. A Polícia Civil aguarda o laudo da perícia para entender o que houve naquele dia.

Tudo o que sabemos sobre:
Velóriogêmeas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.