Empregada morre ao cair de 17.º andar de prédio em São Paulo

Apoiada num ar-condicionado, ela fazia limpeza de parede externa do apartamento, em Pinheiros, quando caiu

Elvis Pereira, estadao.com.br

08 de agosto de 2008 | 19h17

A empregada doméstica Sônia Aparecida Andrade de Holanda, de 53 anos, morreu no início da tarde desta sexta-feira, 8, ao despencar do 17.º andar de um prédio residencial na Rua Francisco Leitão, em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo. Segundo o boletim de ocorrência, apoiada no ar-condicionado da sacada, ela tentava limpar uma das paredes externas do apartamento. Ao se desequilibrar acabou caindo. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o porteiro do edifício contou à polícia que ouviu um forte estrondo e quando foi verificar o que ocorreu se deparou com Sônia caída na área de lazer. A empregada morreu no local. O prédio deverá ser periciado. O caso foi registrado no 14.º Distrito Policial, de Pinheiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.