Empregada é assassinada e patrões desaparecem

Uma empregada doméstica foi assassinada e seus patrões, um casal de empresários do setor de cana-de-açúcar de Piracicaba, estão desaparecidos desde a madrugada de terça-feira. Susana Aparecida Parente Felippe, de 57 anos, Cláudio Meneguetti, de 56, e Lilian Simioni, de 57, estavam na casa da família no bairro de classe média alta Terras do Engenho quando pelo menos duas pessoas invadiram o local.

Tatiana Fávaro, O Estado de S.Paulo

17 Fevereiro 2011 | 00h00

Segundo a Polícia Civil, Susana morreu por asfixia e estava amordaçada, com os pés e as mãos atados e dois sacos plásticos amarrados à cabeça com um fio de telefone. O corpo foi encontrado às 12h45, por um sobrinho do casal. A empregada doméstica foi sepultada ontem, no cemitério da Vila Rezende.

Investigação. O titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Piracicaba, João Batista Vieira de Camargo, trabalha com três hipóteses: a empregada pode ter reconhecido os assaltantes, a vítima ter sido torturada porque os invasores queriam algum tipo de informação do casal e ela ter sido assassinada por ter tentado avisar a polícia.

Segundo o delegado, não havia sinais de arrombamento na casa, o que pode indicar que os suspeitos conheciam o casal ou sua rotina. Uma televisão e uma CPU na qual há imagens do circuito de segurança foram levados, assim como a camionete S-10 do casal.

Até o início da noite de ontem, a polícia não havia recebido nenhum tipo de pedido de resgate. Os suspeitos teriam feito dois saques, cada um de R$ 1 mil, em uma agência bancária no centro de Piracicaba. O delegado pediu imagens do circuito interno do banco e disse que deve receber o material em até 48 horas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.