Empatia leva as pessoas a arriscar a vida pelo outro

Empatia e identificação são alguns fatores que provocam atos corajosos, que a princípio não parecem ter explicação. Funcionário de uma bonbonnière, Alex Ramos Carvalho, de 17 anos, cresceu sem a mãe, que morreu de tuberculose, e nunca soube quem é o pai. Neste ano, ele apareceu na televisão como herói, depois de ter salvado Brenda da Silva, de 4 anos, filha de uma vizinha, que estava desaparecida.

O Estado de S.Paulo

24 de dezembro de 2012 | 04h30

Ele estava no trabalho, na região central, quando viu a menina nas mãos de um carroceiro que passava na rua. E não pensou duas vezes, ele saiu gritando, para o homem soltar a menina, e conseguiu tirá-la das mãos do sequestrador. "Qualquer um pode ter um rompante como esse, desde que fique tocado com a situação", diz a psicóloga Marilda Lipp. / J.D e V.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.