Hélvio Romero/AE
Hélvio Romero/AE

Emissão de passaportes ainda tem problemas

PF passou a atender também nos fins de semana, mas alega que demanda aumentou

Nataly Costa, O Estado de S.Paulo

22 de outubro de 2010 | 00h00

Quase um mês depois da pane que travou o sistema de passaportes da Polícia Federal (PF) no País, o agendamento de horários para a retirada do documento continua problemático. Conseguir uma data nos postos de atendimento da PF é um jogo de azar - muitos desistem depois de várias tentativas ou se veem obrigados a mudar os planos de viagem.

Em São Paulo, os postos da Lapa, zona oeste, e do Shopping Light, no centro, funcionarão aos sábados até o fim do mês. Mesmo assim, a demanda reprimida do pós-pane não está sendo resolvida. O consultor de empresas Marcelo de Lima Rezende, de 37 anos, começou a planejar uma viagem em julho. Desde então, tenta tirar passaporte e não consegue data. Veio a pane no site, a normalização, e até agora ele não conseguiu marcar sua visita à PF. "Já fiz três cadastros no site que expiraram porque não consigo agendar. Ontem mesmo tentei e não havia data", conta. Por causa do imbróglio, desistiu de ir à Disney.

A recomendação da PF é de que o usuário entre no site "várias vezes ao dia, em horários diferentes". "É um absurdo, nem todo mundo tem disponibilidade para isso. Eu desisti porque não tenho viagem marcada por enquanto", diz o administrador de empresas Guto Pacheco, de 52 anos.

Demanda. De acordo com a PF de São Paulo, desde a pane, o número de atendimentos diários na capital subiu de 1 mil para 1,8 mil. Em todo o País, o aumento no número de emissões de passaportes foi de aproximadamente 40% em um ano - pulou de 543 mil no primeiro semestre de 2009 para 753 mil no mesmo período deste ano.

Isso porque o brasileiro está viajando mais para fora. "A expectativa é fechar o ano com 23% de aumento das viagens para o exterior em relação ao ano passado", afirma o presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens em São Paulo, Edmar Bull. Ele diz que as classes C e D são as responsáveis pelos números, pois aproveitam o dólar baixo e a oferta de pacotes internacionais. "Mas a orientação é: se vai viajar em julho, providencie sua documentação agora."

Despachantes. Desde março, a Procuradoria da República em São Paulo investiga a facilidade e a rapidez na obtenção do documento quando o serviço é feito por meio de despachante. Na capital, por R$ 300 a R$ 400, os prestadores de serviço afirmam conseguir agendar em uma semana. A Polícia Federal afirma que isso acontece porque eles "têm uma equipe que fica o tempo inteiro na internet, por isso conseguem rapidamente as datas".

REAÇÕES NO TWITTER

Flávio Dantas (@flavioeden)

"Meu rolê nos EUA miou. Talvez nas próximas férias, pois, segundo o consulado,

só tem entrevista para 03/02/11"

ONTEM, DE SÃO PAULO

Daniel Matos (@dpmatos)

"Impressionante a ineficiência da PF. Você paga caríssimo e demoram 3 meses pra agendar a emissão de passaporte"

ONTEM, DO RIO

Mirella Bueno (@mirellabueno)

"Tá mais fácil conseguir comprar ingresso para o Paul McCartney do que

agendar a renovação do passaporte!"

ANTEONTEM, DE SANTO ANDRÉ

Nízia Caetano (@nizoca)

"Agora entendi como agendar a solicitação de passaporte. É só entrar no site TODOS OS DIAS que, um mês depois, aparece uma vaga.

Lixo."

DIA 19, DE SÃO PAULO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.