Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

Emerson Leão reconhece dupla que assaltou sua casa

Técnico do São Paulo ficou surpreso ao saber que um dos acusados de invadir residência torce para o time do Morumbi

WILLIAM CARDOSO, O Estado de S.Paulo

13 Abril 2012 | 03h09

O técnico do São Paulo, Emerson Leão, reencontrou ontem no 15.º Distrito Policial (Itaim-Bibi) Marcelo Martinez, de 29 anos, e Wdson Olegário, de 22, a dupla que invadiu a sua casa no sábado de carnaval deste ano. O treinador reconheceu os dois como sendo os ladrões que o assaltaram. O primeiro é torcedor do time do Morumbi e tem uma tatuagem da torcida organizada Tricolor Independente.

Leão disse que não sabe se a dupla tinha conhecimento de que aquela era a sua casa. Foi surpreendido pelo ataque do torcedor ladrão. "Eu não vi na hora, mas depois constatei que ele tem na barriga uma tatuagem, até muito bonita, da Independente", disse o técnico. "Acho que ele está satisfeito com a campanha (do São Paulo). Agora, ficar preso é algo desagradável, mas ele merece."

Questionado sobre o fato de assaltar o técnico do seu próprio time, Martinez ficou calado. Olegário disse que não torce para time nenhum.

O técnico lembrou que ficou fora de casa por cerca de duas horas e, assim que voltou, encontrou os ladrões. Quando Leão e a mulher chegaram, os bandidos fugiram e deixaram para trás uma mala com equipamentos usados para arrombar portas.

A dupla levou objetos pessoais do treinador, como um relógio que marcou sua participação na Copa de 1970, no México - ele foi goleiro reserva da seleção brasileira tricampeã do mundo.

Os produtos levados da casa de Leão não foram recuperados. No depoimento prestado à polícia, os ladrões disseram que são viciados em crack e cocaína e que trocaram os objetos furtados por drogas e para pagar dívidas com traficantes.

Preocupado com a onda de arrastões, o treinador aconselha as pessoas a se precaverem. "Temos de colaborar, ficando mais atentos, fechando bem as portas, tendo atenção ao que fazemos, não se mostrando tanto, como, muitas vezes, sem perceber, acaba acontecendo."

Investigação. Segundo a delegada responsável pelo caso, Beatriz Bravo, primeiramente foram mostradas para o técnico do São Paulo imagens de suspeitos de roubos no Itaim-Bibi. Ele reconheceu os dois como sendo os ladrões de sua casa. Até então, os bandidos estavam foragidos.

A dupla foi presa em assalto a uma residência no dia 5, na zona norte. De acordo com a polícia, eles têm passagens por roubo, furto e receptação, e foram reconhecidos por outras duas outras vítimas do Itaim.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.