Embarcação será de MCTI, Marinha, Vale e Petrobrás

O novo navio oceanográfico brasileiro, de 78 metros, será a maior embarcação dedicada à pesquisa científica na história do País. Ele será comprado por uma parceria público-privada entre o MCTI, a Marinha, a Vale e a Petrobrás. O projeto que venceu a licitação é de uma empresa norueguesa, mas o navio será construído na China, com entrega prevista para o fim de 2014.

Herton Escobar, O Estado de S.Paulo

27 Maio 2013 | 02h02

O custo total é de R$ 162 milhões e a Petrobrás será sócia-majoritária, contribuindo com R$ 70 milhões. A Vale dará R$ 38 milhões e o MCTI e a Marinha, R$ 27 milhões cada. Uma divisão que deixa dúvidas na comunidade científica sobre os propósitos da embarcação.

"Posso garantir que o mote será a pesquisa, privilegiando a comunidade acadêmica", diz o contra-almirante Petronio Augusto Siqueira de Aguiar, coordenador do Programa de Reaparelhamento da Marinha. "Pesquisa é a palavra central; vamos fazer ciência", garante a coordenadora de Mar e Antártica do MCTI, Janice Trotte Duhá.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.