Paulo Vitor/AE
Paulo Vitor/AE

Em testes, teleférico do Alemão abre em março

As 152 gôndolas já estão circulando vazias. Ainda neste mês, começarão a carregar passageiros [br]experimentalmente

Bruno Boghossian, O Estado de S.Paulo

14 Dezembro 2010 | 00h00

A linha de teleféricos que vai integrar as favelas do Complexo do Alemão ao sistema de transporte público do Rio entrou em fase final de obras e agora passa por testes antes da inauguração, prevista para março de 2011. As gôndolas em que viajarão os passageiros foram fixadas nos cabos de sustentação e já começaram a circular, vazias. A expectativa é de que sejam realizados testes tripulados com engenheiros neste mês.

O objetivo da etapa atual de operações é fixar o eixo da linha entre cada uma das seis estações, para comprovar sua resistência ao peso e ao vento. Quando entrarem em funcionamento definitivo, as 152 gôndolas do teleférico vão percorrer 3,5 quilômetros, com capacidade para transportar dez pessoas em cada cabine. O público esperado é de 30 mil pessoas por dia.

O teleférico do Complexo do Alemão foi inspirado em um projeto semelhante desenvolvido em Medellín, na Colômbia, e ligará a estação de trem de Bonsucesso a cinco pontos do conjunto de favelas. Segundo a Secretaria de Obras do Estado, o novo meio de transporte pode reduzir para 16 minutos o trajeto que hoje leva até 1h30, entre a estação de trem e o Morro da Fazendinha.

Rocinha. O governo fluminense também estuda a criação de um sistema de teleférico na Favela da Rocinha, na zona sul do Rio, com população estimada de 98 mil habitantes. Com aproximadamente 2,5 quilômetros de extensão, a linha deve fazer parte da segunda fase das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC-2) na comunidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.