Em SP, segurança que matou empresário em padaria é solto

Justiça negou pedido de prisão preventiva e revogou prisão temporária do acusado, que é réu primário

Priscila Trindade, do estadao.com.br,

03 Fevereiro 2010 | 19h17

A Justiça de São Paulo negou na terça-feira, 2, o pedido de prisão preventiva contra o segurança Eduardo Soares Pompeu, de 47 anos, que matou o empresário Dácio Múcio de Souza Júnior, de 29 anos, no último dia 27 em frente à padaria Dona Deôla, em Higienópolis, no centro da cidade. Além disso, a prisão temporária do réu foi revogada.

 

Em sua decisão, o juiz presidente do 1º Tribunal do Júri, Alberto Anderson Filho, afirmou que o réu é primário, possui emprego fixo e residência. "Quanto ao pedido de prisão preventiva, por ora não se vislumbra a presença dos requisitos legais para que ela pudesse ser decretada. Com efeito, o simples fato de o ocorrido ter sido amplamente divulgado pelos meios de comunicação não demonstra a existência de clamor público".

 

CRIME

 

O empresário foi morto a facada. Segundo a polícia, Dácio Múcio de Souza Júnior e o segurança da padaria se desentenderam. Após o crime, Eduardo fugiu. Três dias depois, ele se apresentou no 77º Distrito Policial, na Santa Cecília.

Mais conteúdo sobre:
Assassinato padaria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.