Em SP, inovação deve começar por espanhóis

Secretaria de Administração Penitenciária busca entendimento com consulado para beneficiar detentos da Penitenciária de Itaí, no interior

BRUNO PAES MANSO, O Estado de S.Paulo

31 Março 2013 | 02h03

Parte dos cerca de 2.245 estrangeiros presos no Estado de São Paulo pode começar a receber visitas virtuais dos parentes. A Secretaria da Administração Penitenciária está desenvolvendo estudos para que esses presos, a maioria recolhida na Penitenciária de Itaí, no interior do Estado, possa utilizar o Skype para se comunicar com os familiares que residem em diversos países.

Segundo a secretaria, em um primeiro momento, os presos espanhóis devem experimentar o método, tendo em vista entendimentos que avançaram com o Consulado Espanhol em São Paulo. Atualmente, existem 106 espanhóis presos em São Paulo, conforme dados de junho.

Nas demais 155 unidades do sistema paulista, as visitas virtuais não foram implementadas. Segundo a assessoria da secretaria, o motivo é que em todos os fins de semana ocorrem visitas presenciais. As virtuais dos presídios federais se justificariam pela longa distância entre as unidades e o local de residência das famílias dos presos.

O advogado José de Jesus Filho, da Pastoral Carcerária Nacional, lamenta que o modelo de visitas virtuais acaba substituindo as presenciais. "Ao contrário do que afirma o governo, esses presos em presídios federais não são líderes de facção ou poderosos. São pessoas pobres, com famílias que não tem dinheiro para viagem", diz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.