Em SP, comissão e Passe Livre focam o cartel do metrô

A CPI dos Transportes da Câmara de São Paulo, aberta em 17 de julho, não descobriu irregularidades nos contratos das empresas de ônibus com a Prefeitura. Dominada pela base governista do prefeito Fernando Haddad (PT), a investigação tenta agora mirar nos contratos do metrô, visando a atingir o governo estadual do PSDB, o que tem paralisado a comissão com embates políticos entre os integrantes. Segundo o presidente Paulo Fiorilo (PT), porém, a CPI ainda analisará os aditivos feitos nos contratos dos ônibus em 2006 e 2009, que aumentaram a margem de lucro dos empresários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.