Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Em SP, 13 manifestantes continuam presos

Segundo a Secretaria de Segurança, dez pessoas cometeram crime inafiançável e foram detidas em flagrante por dano ao patrimônio e formação de quadrilha

Renato Vieira, Luciano Bottini Filho e Bárbara Ferreira Santos, O Estado de S. Paulo

12 Junho 2013 | 09h30

SÃO PAULO - Treze pessoas, entre elas uma mulher, continuam detidas em delegacias de São Paulo por causa do protesto contra o aumento da tarifa de ônibus na noite de terça-feira, 11, quando houve confrontos com a Polícia Militar na região central da cidade. A informação é da Secretaria de Segurança Pública (SSP), que somou 11 detidos no 78º DP (Jardins) e outros dois no 2º DP (Bom Retiro). Os manifestantes deixaram um rastro de destruição na cidade.

Inicialmente foram detidas 17 pessoas no 78º DP, mas seis delas já foram liberadas. Segunda a SSP, dez pessoas cometeram crime inafiançável e foram presas em flagrante por dano ao patrimônio e formação de quadrilha. Uma dessas dez pessoas ainda responde por incêndio. Outra pessoa responde apenas por dano ao patrimônio e teve fiança estabelecida em R$ 20 mil. O pagamento ainda não foi feito.

Já no 1° DP (Sé), de acordo com a pasta, duas pessoas foram presas em flagrante por dano qualificado, lesão corporal e desacato à autoridade. Segundo a secretaria, eles picharam a lateral do prédio do Tribunal de Justiça e jogaram pedras nos homens da corporação. A fiança de ambos foi estabelecida em R$ 3 mil. Eles foram transferidos para a carceragem do 2º DP. Depois, deverão seguir para um Centro de Detenção Provisória.

 

O protesto de terça-feira foi o terceiro e o maior organizado pelo Movimento Passe Livre. Na semana passada, houve manifestações na quinta-feira, 6, e na sexta, 7.

Mais conteúdo sobre:
Protesto Trânsito SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.