Em Sorocaba, seis ônibus são incendiados

Número de coletivos atacados por criminosos desde o fim de semana sobe para oito

José Maria Tomazela - O Estado de S. Paulo,

28 Novembro 2012 | 02h01

Seis ônibus foram incendiados na madrugada de ontem em Sorocaba, a 92 km da capital, aumentando para oito o número de coletivos atacados por criminosos desde o fim de semana.

Os veículos estavam fora de circulação e recolhidos no pátio da empresa TCS-Transportes Coletivos Sorocaba, na Vila Angélica. Pertenciam à empresa Breda, associada à TCS, atualmente em processo de falência.

Um ônibus já havia sido incendiado no domingo no Jardim Maria Antonia e outro queimado na sexta-feira no Jardim Bonsucesso - todos na zona norte. Ninguém ficou ferido.

A onda de ataques coincide com a escolha de um sorocabano para a cúpula da Segurança Pública do Estado. O delegado Luiz Maurício Souza Blazeck, que fez carreira na cidade onde nasceu e ainda mora, foi anunciado como o novo delegado-geral da Polícia Civil.

O titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sorocaba, José Urban Filho, não vê relação dos ataques com a nomeação de Blazeck. Ele disse que os casos tanto podem ser atos de vandalismo quanto resultado de ação de organização criminosa. "Também podem ser pessoas que aproveitam o momento de incerteza", disse.

O primeiro ônibus incendiado tinha câmera de monitoramento e as imagens flagraram a ação dos bandidos. Um deles já foi identificado pela polícia.

Urban Filho quer saber se o bando é o mesmo que parou o segundo ônibus e mandou o motorista descer antes de atear fogo, na madrugada de domingo.

Pânico. Desde o fim de semana, boatos de toques de recolher assustam moradores de Sorocaba. Os ônibus que circulam à noite estão com escolta da PM ou da Guarda Civil Municipal.

Na noite de anteontem, dois homens - um deles armado - invadiram a casa de um guarda-civil na Vila Barão. O guarda e seu filho foram amarrados. Além de objetos de valor, foi levada a pistola do GCM que estava no guarda-roupa. Um dos bandidos atirou contra o guarda-civil, mas a arma falhou. Ninguém foi preso.

Mais conteúdo sobre:
sorocaba violência SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.