Em Sorocaba, quatro são condenados por contrabando de cigarros

Chefe da quadrilha cumprirá seis anos de prisão; grupo foi preso após investigação policial e por meio do disque-denúncia

Priscila Trindade, Central de Notícias

27 de abril de 2011 | 10h38

SÃO PAULO - A 2ª Vara Federal em Sorocaba condenou quatro réus acusados de contrabandearem cigarros estrangeiros na região de Sorocaba, em São Paulo. Eles foram condenados pelos crimes de formação de quadrilha, sendo que três deles também cumprirão pena por contrabando. A decisão é da juíza federal substituta, Margarete Sacristan.

 

Os envolvidos foram denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF) após a realização de uma operação policial que prendeu o líder da quadrilha em sua casa, localizada em um condomínio de classe média no bairro Cajuru do Sul, em Sorocaba. Os policiais encontraram cerca de R$ 845 mil em espécie que estavam escondidos no sótão do imóvel.

 

Os outros três réus foram encontrados por meio do disque-denúncia, que identificou os locais utilizados como depósito de cigarros contrabandeados. Na casa de dois deles foram encontradas trinta caixas de cigarros avaliadas em R$ 12 mil, e na residência do terceiro, mais setenta e duas caixas. Todos residiam no bairro do Cajuru.

 

O chefe da quadrilha foi condenado a seis anos de reclusão em regime fechado. Os outros dois réus foram condenados a penas que variam de um a três anos e meio de reclusão, em regime inicialmente aberto, e a pena restritiva de liberdade da quarta integrante da quadrilha foi substituída por prestação de serviços à comunidade.

 

Na sentença a magistrada determinou que o valor apreendido fosse destinado às entidades beneficentes da região de Sorocaba.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.