Em semana violenta, Grande São Paulo registra ao menos 19 mortes

Três pessoas morreram em suspostos confrontos com a PM e 16 em circunstâncias de execução, incluindo um policial militar

10 Outubro 2012 | 10h19

Atualizado às 10h43

SÃO PAULO - A semana começou com um surto de assassinatos em São Paulo. Desde segunda-feira, ao menos 19 pessoas morreram baleadas na Região Metropolitana, sendo três em suposto confronto com a PM e16 em circunstâncias de execução - incluindo a de um Policial Militar fora de serviço. Somados a um surto de assassinatos no litoral paulista, com 15 mortes em cinco dias, os casos fizeram com que a Secretaria de Segurança Pública mobilizasse um reforço no policiamento a partir desta quarta-feira, 10.

Depois do deslocamento de homens das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) para a Baixada , a pasta anunciou um acréscimo de 5 mil policiais militares nas ruas de todo o Estado. Oriundos de áreas administrativas, eles terão presença mais intensa na Baixada Santista, na zona sul da capital e em áreas da Grande São Paulo que vem registrando mais crimes violentos nas últimas semanas: Guarulhos, Taboão da Serra e Embu das Artes. Um total de 14 helicópteros darão apoio à operação.

"Enquanto soldados estiverem morrendo, vamos reforçar o policiamento", disse na terça-feira o secretário de Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto.

Em Taboão e Embu, oito pessoas morreram entre as 21h50 de segunda-feira e as 2h de terça, em pouco mais de cinco horas. A série de execuções começou com a morte do PM Hélio Miguel Gomes, de 36 anos, que estava à paisana em um posto de gasolina de Taboão. As outras sete mortes foram registradas a poucos quilômetros umas das outras em uma área limítrofe entre os dois municípios - um dos suspeitos morreu em suposto confronto com PMs.

Os demais assassinatos aconteceram entre a noite de terça-feira e a madrugada desta quarta, sendo seis na capital, um em Diadema, três em Carapicuíba e um em Osasco. Em Carapicuíba, um suspeito morreu em confronto com a Rota; em Osasco, outro homem morreu ao, supostamente, trocar tiros com policiais militares.

Estatísticas. Um total de 79 policiais militares morreram neste ano em todo o Estado de São Paulo, sendo 62 durante o horário de folga e 17 durante o expediente. Em todo o ano passado, foram 37 mortes nas duas situações.

Mais conteúdo sobre:
mortespcctaboão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.