Em pleno feriado, 1 milhão de pessoas lotam a 25 de Março

Para especialista, estabilidade econômica anima compras de Natal antes mesmo da primeira parcela do 13º salário

Bianca Pinto Lima, Nataly Costa, O Estado de S.Paulo

16 de novembro de 2010 | 00h00

No feriado da Proclamação da República, os paulistanos escolheram a Rua 25 de Março para antecipar as compras de Natal. De acordo com o diretor da União dos Lojistas da 25 de Março, Eduardo Ansarah, 1 milhão de pessoas passaram pela região durante todo o dia de ontem - 70% delas escolheram o horário de pico, entre 11h e 15h.

Para Ansarah, o intenso movimento se explica porque a estabilidade da economia deixou os brasileiros confiantes para consumirem mais e mais cedo. Os compradores decidiram não esperar pela primeira parcela do 13.º salário. "É atípico para a data um movimento como esse. Foi melhor até que o sábado, porque tinha muita gente de fora por causa do feriado e o clima quente também deu uma animada na cidade", afirmou.

Moradores da Vila Mariana, o casal Marli e Flávio de Souza Alves pegou o metrô lotado até a Estação São Bento para comprar o item mais importante da decoração de fim de ano: uma árvore de Natal de quase 2,5 metros. "Fui em outros lugares, mas encontrei a árvore por quase metade do preço na 25 de Março", diz Marli.

Otimismo. A região da 25 de Março está distribuída por 18 ruas e tem 2,5 quilômetros de extensão - é o maior centro de comércio popular do Brasil. Segundo um estudo da consultoria TNS, 56% dos compradores pertencem às classes A e B e 44% são oriundos da C e da D.

Para o Natal deste ano, os comerciantes esperam alta de 15% nas vendas em relação ao mesmo período do ano passado. Em 2009, as lojas da região faturaram R$ 17,6 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.