Em NY, moradora vai à Justiça contra casas de luxo

THE NEW YORK TIMES

Fernanda Santos, O Estado de S.Paulo

14 de julho de 2010 | 00h00

NOVA YORK

No exclusivo mundo dos Hamptons, subúrbio chique em Long Island considerado o parque de diversões de ricos e famosos como o bilionário George Soros e o estilista Calvin Klein, Evelyn Konrad, de 81 anos, não está entre os moradores mais conhecidos. Mas, em alguns círculos desse opulento refúgio de frente para o mar, Evelyn chamou a atenção com sua campanha implacável contra uma vaca sagrada local: os imóveis de luxo.

Ela já foi chamada de irritante, inconveniente e até de louca. Mas, para Evelyn, as casas construídas pelos titãs de Wall Street estão destruindo a vida como ela a conhece desde que começou a frequentar a região, há 50 anos. Ela se mostra perfeitamente à vontade no papel que lhe atribuíram. "Sou briguenta. Sou obstinada. Não vou desistir."

Usando a língua ferina e o diploma de Direito que conquistou há cinco anos, Evelyn acusou funcionários públicos, construtores e compradores de corrupção, prática de valores abusivos e mau gosto em documentos do tribunal e em cartas ao jornal local. Ela descreveu algumas das casas como "extensões penianas de vários milhões de dólares".

Seus oponentes se mostram igualmente audaciosos. O prefeito de Southampton, Mark Epley, disse que Evelyn estava "arremessando porcarias na parede para ver quais delas grudavam". Supervisor municipal, Paul L. Robinson disse não saber se Evelyn era mais do que uma cidadã "desagradável dedicada a gastar os recursos do contribuinte com seus processos frívolos".

Até o momento, o município saiu vencedor. Os desafios legais de Evelyn às novas construções foram descartados. Ainda assim, ela está recorrendo e deu início a um debate provocativo. "Muitos de nós estão começando a se dar conta de que a questão não é a ganância, nem os imóveis nem o lucro", disse a arquiteta e moradora do centro do município Sally Spanburgh, de 42 anos. "Trata-se de uma questão de comunidade e conexão, e acho que Evelyn mostrou a todos nós o que temos risco de perder". / TRADUÇÃO DE AUGUSTO CALIL

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.