Em novo local, feira LGBT encolhe

Pela 1ª vez, evento foi na Praça da República

Marina Azaredo, O Estado de S.Paulo

02 de maio de 2014 | 02h05

Pela primeira vez na Praça da República, a Feira Cultural LGBT, parte da programação da Parada de Orgulho Gay de São Paulo, que será no domingo, teve um público menor neste ano. Segundo a organização, 180 mil pessoas passaram pelo evento, na 14.ª edição. No Anhangabaú, o público costumava ser de 250 mil pessoas.

"Em 2011, a Fifa já nos avisou que teríamos de sair do Anhangabaú, por causa da Copa do Mundo e das transmissões que eles costumam fazer lá. Aqui a feira ficou menor", lamentou a transexual Greta Star, uma das diretoras da Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo. O evento, que faz parte da programação do 18.º Mês do Orgulho LGBT, tinha tendas e shows, com destaque para a cantora jamaicana Marion K.

O público elogiou a mudança de local. "Esta bem melhor do que nos anos anteriores, mais centrado, mais organizado. Também aumentou a sensação de segurança", comentou o professor Evandro Correia, de 39 anos, que há sete anos vem de Porto Alegre para a Parada Gay de São Paulo. "Aqui a parada é mais politizada. Em Porto Alegre, é mais ofensiva. Lá eles tentam colocar a homossexualidade goela abaixo."

A grande presença de heterossexuais na feira também foi comemorada. "Temos muitas coisas voltadas apenas para o público gay, mas também espetáculos, comidinhas, camisetas. Para gostar dessas coisas, não tem sexo", afirmou Greta Star.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.