Em novo local, feira LGBT encolhe

Pela 1ª vez, evento foi na Praça da República

Marina Azaredo, O Estado de S.Paulo

02 Maio 2014 | 02h05

Pela primeira vez na Praça da República, a Feira Cultural LGBT, parte da programação da Parada de Orgulho Gay de São Paulo, que será no domingo, teve um público menor neste ano. Segundo a organização, 180 mil pessoas passaram pelo evento, na 14.ª edição. No Anhangabaú, o público costumava ser de 250 mil pessoas.

"Em 2011, a Fifa já nos avisou que teríamos de sair do Anhangabaú, por causa da Copa do Mundo e das transmissões que eles costumam fazer lá. Aqui a feira ficou menor", lamentou a transexual Greta Star, uma das diretoras da Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo. O evento, que faz parte da programação do 18.º Mês do Orgulho LGBT, tinha tendas e shows, com destaque para a cantora jamaicana Marion K.

O público elogiou a mudança de local. "Esta bem melhor do que nos anos anteriores, mais centrado, mais organizado. Também aumentou a sensação de segurança", comentou o professor Evandro Correia, de 39 anos, que há sete anos vem de Porto Alegre para a Parada Gay de São Paulo. "Aqui a parada é mais politizada. Em Porto Alegre, é mais ofensiva. Lá eles tentam colocar a homossexualidade goela abaixo."

A grande presença de heterossexuais na feira também foi comemorada. "Temos muitas coisas voltadas apenas para o público gay, mas também espetáculos, comidinhas, camisetas. Para gostar dessas coisas, não tem sexo", afirmou Greta Star.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.