Em menos de 60 dias, ao menos 4 empresários foram mortos em SP

Na noite de terça, homem foi assassinado quando tentava ajudar a filha que havia batido o carro

Pedro da Rocha, Estadão.com.br

23 Março 2011 | 14h56

SÃO PAULO - Custódio Gomes Chaves, de 52 anos, assassinado nesta terça-feira, 22, foi o quarto empresário morto na Grande São Paulo em menos de 60 dias. Custódio foi baleado ao tentar ajudar a filha depois que um veículo bateu em seu carro. O empresário seguiu até o local e os envolvidos no acidente tentaram roubá-lo. Ele reagiu, foi alvejado e morto.

 

Antes dele, no dia 21 deste mês, outro empresário, Damião Laurindo de Almeida, de 33 anos, morreu após ser rendido por cinco homens armados em uma tentativa de sequestro em Guarulhos, na Grande São Paulo. Segundo a polícia, ele e o sobrinho tentaram reagir e foram baleados. Damião não resistiu aos ferimentos e faleceu.

 

No dia 24 de fevereiro, o irmão do deputado estadual Said Mourad (PSC), Ali Said Mourad, foi abordado após sair de uma agência do Bradesco no Sacomã, zona sul de São Paulo. Os bandidos exigiram R$ 5 mil, mas o empresário havia usado o dinheiro para efetuar pagamentos. Os assaltantes atiraram nas costas de Ali e o mataram.

 

No primeiro dia de fevereiro, o proprietário de uma casa noturna João Ribeiro da Silva, de 42 anos, foi executado com três tiros na cabeça dentro de um bar em Cangaíba, zona leste da capital, em frente ao estabelecimento do qual era dono. Um homem encapuzado invadiu o bar e desferiu três tiros na cabeça do empresário. Ele ainda foi socorrido no Pronto Socorro do Tatuapé, onde morreu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.