Em junho, Linha 4 do metrô vai funcionar das 4h à meia-noite

Inauguração da Estação Pinheiros está prevista para maio; até o fim do ano, ramal vai abrir só[br]de segunda a sexta

Renato Machado, O Estado de S.Paulo

25 Março 2011 | 00h00

Após entregar a Estação Butantã do Metrô (na próxima segunda-feira, às 9 horas), o governo do Estado pretende inaugurar até a primeira quinzena de maio a outra estação da Linha 4-Amarela prevista para este semestre: a Pinheiros. O novo cronograma trabalhado pela Secretaria dos Transportes Metropolitanos prevê que, até o meio do ano, as quatro paradas do ramal que estarão em operação funcionem em horário integral, das 4h40 à 0h15, de segunda a sexta-feira. O valor da passagem será de R$ 2,90.

"Vamos inaugurar a Butantã nesta segunda-feira. E depois nossa ideia é em 30 ou 45 dias inaugurar a Estação Pinheiros, mas ainda sem integração (com a Linha 9-Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, a CPTM)", disse o secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, em evento de entrega da Estação Carapicuíba da CPTM, na manhã de ontem.

A integração da Linha 4-Amarela com a Linha 9-Esmeralda da CPTM vai ocorrer até o fim de junho. "Após acomodar o staff de funcionários da Estação Pinheiros, até junho, que é o nosso compromisso, aí vamos promover a integração", explicou o secretário.

Inicialmente, a Estação Butantã vai funcionar das 8 às 15 horas, mesmo horário do trecho já em operação do ramal - de 3,8 quilômetros entre as Estações Paulista e Faria Lima. Esse período já é uma hora a mais do que foi praticado nas primeiras estações da linha, entregues em maio do ano passado.

O horário das 8 às 15 horas também será adotado na Estação Pinheiros do Metrô após a inauguração. Só a partir da integração com as composições da CPTM é que ficará possível a ampliação do serviço para o horário integral da rede, das 4 horas à meia-noite, diariamente.

Sábados e domingos. A operação da Linha 4-Amarela, no entanto, vai continuar apenas em dias de semana até o fim do ano. O governo paulista afirma que esse modelo será necessário pois os sábados e domingos serão reservados para os testes de circulação dos trens no trecho que já estará inaugurado e nas futuras Estações Luz e República. A previsão é de que essas plataformas sejam abertas até o fim do ano.

O Metrô prevê que 700 mil pessoas usarão a Linha 4-Amarela por dia no trecho entre Luz e Butantã. A entrega da segunda fase, com seis estações, está prevista para até 2014.

CRONOLOGIA

Obra teve início há quase 7 anos

3 de junho de 2004

Início

Começam as obras da futura Linha 4-Amarela, com os serviços de terraplenagem.

12 de janeiro de 2007

Cratera

Acidente no canteiro de obras abre uma cratera na Estação Pinheiros e deixa sete mortos.

14 de agosto de 2009

Início

O megatatuzão trazido em 2006 da Alemanha para as escavações da Linha 4 (entre o Largo da Batata, na zona oeste, e a Estação da Luz, no centro da capital) encerra as escavações.

25 de maio de 2010

Inauguração

Começa a operar o primeiro trecho, entre as Estações Paulista e Faria Lima.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.