Em Jundiaí, 18 famílias são removidas de área de risco após 4 mortes

Moradores de Viela da Pedra foram levados para abrigos da prefeitura ou para casas de parentes e amigos

Priscila Trindade, Central de Notícias

17 Janeiro 2011 | 11h00

SÃO PAULO - Dezoito famílias que moram em uma área considerada de risco foram removidas neste final de semana da Viela da Pedra, no Jardim São Camilo, Jundiaí, no interior de São Paulo. Parte dos moradores foram encaminhados para dois abrigos provisórios da Prefeitura. Outros preferiram ficar na casa de parentes e amigos.

 

O trabalho de remoção das famílias foi totalmente concluído no domingo, durante operação conjunta que envolveu a Fundação Municipal de Ação Social (Fumas), a Defesa Civil, a Secretaria de Saúde, a Polícia Militar, a Secretaria de Atendimento e Desenvolvimento Social (Semads), o Poder Judiciário e o 12º Grupo de Artilharia e Campanha (GAC). O Exército disponibilizou quatro caminhões e 20 soldados para o transporte e retirada dos pertences dos moradores.

 

Na noite do dia 5 de janeiro, quatro pessoas morreram após um deslizamento de terra destruir dois barracos no município. Com as chuvas, a encosta cedeu e um barraco deslizou sobre o outro. Pai, mãe e duas filhas, de 4 e 9 anos, dormiam quando parte do barranco caiu sobre a casa.

 

Ajuda. Doações para as famílias atingidas pelas chuvas podem ser feitas para o Fundo Social de Solidariedade do Município (FUNSS). Os itens mais necessários são colchões, cobertores, travesseiros, roupas de cama, material de higiene pessoal, água, leite e alimentos não perecíveis.

 

As doações podem ser entregues durante a semana em dois endereços: Rua Capitão Cassiano Ricardo de Toledo, 92, e Rua Zacarias de Góes, 550 (Rede Permanente de Solidariedade). Informações pelo telefone 4522-7860.

Mais conteúdo sobre:
chuva SP Jundiaí área de risco deslizamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.