Em empresas, só com denúncia

A Vigilância Sanitária Municipal (Covisa) faz, em paralelo à fiscalização dos shoppings e centros comerciais, um trabalho de avaliação em grandes prédios comerciais. Nas empresas, no entanto, a fiscalização é feita só após denúncias de funcionários.

Paulo Saldaña, O Estado de S.Paulo

22 Maio 2011 | 00h00

Até agora, dez prédios de grande porte estão em processo de avaliação. Todos foram iniciados depois de denúncias. A Covisa não diz quais são os edifícios - informa apenas que são locais bem movimentados. "Pode até ser um prédio pequeno, mas com grande movimento", diz a gerente da Vigilância, Vera Lúcia Allegro.

A gerente conta que já houve casos em que pessoas tiveram que sair de maca da empresa por falta de ventilação. "Casos como esse, que resultam em problemas de saúde, acabam em multas." As autuações podem chegar a R$ 500 mil.

Reclamações. A procuradora do Ministério Público do Trabalho Daniele Leite acredita que as fiscalizações em centros empresariais podem aumentar quando as pessoas se informarem mais sobre o tema. "O número de denúncias por parte dos trabalhadores só não é maior porque muitos desconhecem os caminhos para formalizar suas reclamações", diz ela.

"Os próprios trabalhadores e frequentadores nem sequer desconfiam que a causa de muitos dos problemas de saúde podem ser originados justamente da contaminação do ar."

Mesmo se a estrutura do edifício for menor, critérios de qualidade e avaliação são os mesmos de shoppings.

O presidente da Brasindoor, Paulo José Marques Hoenen, explica que o maior desafio é fazer com que as empresas limpem os dutos. "O problema é que a limpeza é cara e pode chegar a R$ 100 mil. Até shoppings, com maior capacidade financeira, se recusam a fazer."

Denúncias à Covisa podem ser feitas pelo telefone (11) 3397-8278, ou no site www.prt2.mpt.gov.br.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.