Em diário, ele promete 'parar de usar laranjas'

Preso pela Operação Sinapse, o gaúcho Alexandre Souza de Azambuja, radicado no Paraná, conquistou em pouco tempo a atenção do mercado financeiro. Apontado como o "Eike Batista do Sul", ele também recebeu a alcunha de "Rei do IPO" - a oferta inicial de ação, na sigla em inglês.

O Estado de S.Paulo

15 Dezembro 2013 | 02h05

Apostando na abertura de capital de empresas pré-operacionais, daí a associação a Eike, Azambuja é o recordista em pedidos na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Recebeu o aval para 15. Em 9 de setembro, já preso, uma empresa sua, a Deluxe Motors S.A., obteve registro. Dos 11 registros em análise na CVM, seis estão no nome dele.

O empresário, de 46 anos, se coloca como discípulo de Eike. "Não o conheço pessoalmente, mas temos amigos em comum", declarou à revista Época em agosto de 2012. Ele contou ter lido mais de 2 mil páginas de atas das empresas do carioca.

Com as notícias do fracasso dos negócios de Eike, Azambuja reclamou da associação. "Ser discípulo de Eike agora virou maldição", contou ao Estado, em julho deste ano.

Os diários incluem objetivos. Ele cita, em 2010, o propósito de investir na "carreira alternativa de lobista". Também faz promessas: "Nunca mais usarei laranjas". Ele também lembra que precisa pedir sigilo de justiça para "aqueles problemas antigos", sem dar detalhes. / P.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.