Em Diadema, menina é atingida por tiro dentro de casa

A bala ficou alojada no mamilo direito da vítima, que está internada, esperando por uma cirurgia

Andressa Zanandrea, Jornal da Tarde

28 de maio de 2008 | 10h08

Uma garota de 13 anos foi atingida por um tiro ao ver, da janela de casa, a irmã ser assaltada, no final da noite de terça-feira, 27, em Diadema, no ABC Paulista. A bala, que atingiu primeiro uma das janelas da sala, se alojou no peito da estudante da oitava série F.P.S. Ela está internada e deve passar por cirurgia. Os assaltantes não foram localizados pela polícia. A menina e a mãe, a autônoma Maria das Graças, de 43 anos, estavam na sala de casa. De repente, elas ouviram os gritos da estudante Aline Pereira da Silva, de 18 anos, que voltava para casa da escola. Elas viram um Escort Hobby azul escuro parado na esquina, com três pessoas, das quais uma mulher, dentro. De repente, um casal, aparentemente menor de idade, desceu do carro e levou a bolsa de Aline. Assustada, ela gritou pela mãe, pedindo socorro.  Maria das Graças foi até uma das janelas da sala e gritou "ladrão, ladrão" ao ver os criminosos com a bolsa de Aline. F., que estava deitada no mesmo cômodo, foi até a outra janela da sala para ver o que havia acontecido com a irmã. Um dos assaltantes atirou contra a casa. A bala perfurou a esquadria, quebrou o vidro da janela e, em seguida, atingiu o peito da garota. Os três criminosos escaparam no carro, levando a bolsa, com celular, documentos, cheques e cartões. A vítima foi levada ao Hospital Municipal de Diadema por uma tia e por um vizinho. A bala ficou alojada no mamilo direito e ela está internada, esperando por uma cirurgia para retirada do projétil. Parentes contam que a menina ficou calma. "Ela disse 'mãe, acho que levei um tiro' e pedia para ela ficar calma", contou o tio, o mecânico Vidal Eduardo Gomes, de 37 anos. A mãe das meninas tem problemas de pressão alta e diabetes. Parentes das meninas dizem que o Escort foi visto na região dois ou três dias antes ao assalto. Eles desconfiam que os criminosos queriam roubar a moto do namorado de Aline, que costuma pegá-la na escola e levá-la em casa, passando pela mesma esquina onde o carro estava parado. Na terça-feira, no entanto, ele não foi buscá-la, e ela voltou andando com duas amigas. O caso foi registrado no 3º Distrito Policial de Diadema e será investigado.

Tudo o que sabemos sobre:
violênciaassalto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.