Em dez anos, o fluxo aumentou 35% na Anchieta-Imigrantes

Entregue no fim de 2012 com a promessa de resolver a lentidão registrada no sistema que leva às cidades da Baixada Santista e do litoral sul, a segunda pista da Rodovia dos Imigrantes, no trecho de serra, já não consegue o efeito desejado. No feriado prolongado da República, mesmo com a pista em operação, motoristas demoraram até seis horas para chegar ao litoral.

O Estado de S.Paulo

23 Novembro 2013 | 02h09

Os números explicam parte da saturação. Segundo a concessionária que administra o Sistema Anchieta-Imigrantes, o volume de carros de passeio cresceu 35% de lá pra cá, passando de 24,7 milhões, em 2002, para 33,3 milhões, em 2012. O tráfego de veículos pesados aumentou ainda mais. O incremento foi de 59% - de 4,2 milhões, em 2002, para 6,8 milhões em 2012.

Quando o calor aperta, os carros ocupam todos os acessos. Há uma semana, no feriado da República, os motoristas levavam duas horas somente para percorrer os 29 quilômetros da Cônego Domenico Rangoni, que leva ao Guarujá.

E a lentidão deve repetir-se. As obras de ampliação da capacidade só devem ficar prontas em setembro de 2014. O pacote custa R$ 328 milhões e inclui a implementação de anel viário, interligando as Rodovias Anchieta, Imigrantes, Padre Manuel da Nóbrega e Cônego Domenico Rangoni. Haverá uma terceira faixa entre o km 270 e o km 262, na região de Cubatão. / A.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.