Em desfile, Juca Ferreira defende uso de lei na moda

Na fila A do desfile feminino de Alexandre Herchcovitch na cúpula do Teatro Municipal, o secretário municipal de Cultura Juca Ferreira classificou como "atrasada" a polêmica criada em torno da autorização para que estilistas usem recursos da Lei Rouanet para realizar seus desfiles. "Moda é cultura, isto está claro desde os anos 1960. Moda faz parte da cultura brasileira e da arte, independentemente de seu caráter comercial", disse.

Flavia Guerra, O Estado de S.Paulo

30 de outubro de 2013 | 02h03

Para Ferreira, a polêmica surgiu "por questões corporativas". "Há um ciúmes com relação ao uso de recursos. Mas acho que se devia ter ciúme do recurso mal usado. A Lei Rouanet às vezes é muito mal usada, para importar projetos que não agregam nada à cultura brasileira. A economia da cultura como um todo, a simbólica, criativa, que tem na moda uma de suas referências, tem uma importância simbólica, cultural e econômica e acho que São Paulo pode construir políticas que venham fortalecer a moda", completou o secretário.

Ferreira falou na possibilidade se criar um plano diretor municipal para a moda. "Há total interesse. Algumas áreas artísticas, como o cinema, o teatro e até a ópera têm intimidade com a moda. Para que ela seja incorporada como parte importante da tradição simbólica contemporânea, é preciso continuidade", comentou. "A união do Teatro Municipal com o mundo fashion é uma das maneiras de construir esta proximidade. O teatro é um super equipamento. Ao trazer o desfile para cá, damos vida ao prédio, que passou por uma reforma, dando valor às óperas, aos corpos estáveis. "

Mais conteúdo sobre:
spfw

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.