Werther Santana/ Estadão
Werther Santana/ Estadão

Em defesa do patriotismo, Tatuapé desfila na busca por terceiro título

Escola precisou correr para não deixar buraco na avenida depois que um carro apresentou problemas na saída da concentração

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

02 de março de 2019 | 04h42

SÃO PAULO - Um dos desfiles mais aguardados da primeira noite de Carnaval no sambódromo do Anhembi, a Acadêmicos do Tatuapé, escola da zona leste, entrou na avenida às 3h55 deste sábado, 2. O grupo busca o terceiro título consecutivo na defesa do patriotismo e do amor ao País. 

A escola precisou correr para não deixar um buraco na avenida depois que um carro apresentou problemas na saída da concentração. Apesar da falha, que causou corre-corre, a escola conseguiu levar a alegoria para o desfile.

Com as cores da bandeira do Brasil - amarelo, verde, azul e branco -, a Tatuapé apresentou como abre-alas os Templários, primeiros guerreiros da Guerra Santa, nos tons dourado, azul e vermelho com penas de pavão nas costas. Romanos, personagens da mitologia grega, samurais japones e guerreiros africanos também foram cantados.

Guerreiros da história, incluindo samurais, lendas e mitos, foram homenageados pelo samba-enredo: "Bravos guerreiros: por Deus, pela honra, pela justiça e pelos que precisam de nós". Na letra, a Tatuapé pregopregoh o patriotismo e o amor ao Brasil ao cantar: "Sou brasileiro.../Vou defender minha nação/Oh Patria amada, idolatrada, não chores em vão".

O vermelho também apareceu com força, sendo a principal cor do primeiro carro alegórico, intitulado "Em nome de Deus". Outras cores da agremição foram pink e preto, na ala dos samurais. Uma cobra e uma espada compuseram a fantasia dos guerreiros japoneses, simbolizando a sabedoria e a luta, respectivamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.