Em Congonhas, problema é táxi

Aos gritos de "Quem quer táxi?", "arrastadores" abordam passageiros na porta do aeroporto, muitas vezes perto dos seguranças. Os taxistas clandestinos usam o serviço das pessoas responsáveis por "laçar" passageiros no desembarque e encaminhá-los para os carros. Ao levar o passageiro até o veículo irregular, ganham uma comissão de 10%.

O Estado de S.Paulo

29 Abril 2012 | 03h02

Em Congonhas, os "arrastadores" ficam na frente da porta automática do terminal de desembarque, muitas vezes a poucos metros dos seguranças que trabalham no local. Geralmente, o "arrastador" é também o motorista, mas a maioria está ali mesmo para conquistar um cliente.

Para aumentar a oferta de táxis autorizados, a Prefeitura concluiu em abril a distribuição de alvarás - nove dos quais para veículos de luxo em Congonhas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.