Em clima de eleição, Kassab promete mais R$ 1 bi para metrô

Segundo o prefeito, a CET e a SPTrans estão preparando nova etapa para o pacote anticongestionamento

Camilla Rigi, O Estado de S. Paulo

26 de março de 2008 | 12h06

Apesar de ainda não assumir a candidatura à reeleição para o cargo de prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab anunciou nesta quarta-feira, 26, que, se candidato, vai reservar mais R$ 1 bilhão para novos investimentos no Metrô. "Se for candidato assumirei esse compromisso, de uma maneira corrigida, a próxima gestão investir R$ 1 bilhão", declarou Kassab. Na terça-feira, 25, o prefeito anunciou a transferência de R$ 75 milhões para Metrô para contratar o projeto executivo para Linha 6 que ligará a Freguesia do Ó, na zona norte, à Rua do Oratório, na zona leste.   VEJA TAMBÉM: Serra diz que Linha 6 do metrô terá início em sua gestão Debate sobre trânsito com prefeito Gilberto Kassab  Caminhão pode ser vetado no centro expandido  Acompanhe agora a situação do trânsito por rua Das medidas anticongestionamento, apenas uma entra em vigor  Opine - A ampliação do rodízio vai melhorar o trânsito na cidade?  Quanto a definição da candidatura Kassab ainda afirmou que não há definição. "Eu vou direcionar minhas energias para que seja mantida a aliança na cidade de São Paulo desde o primeiro turno". Hoje pela manhã, o prefeito, acompanhado do Secretário Municipal de Transportes, Alexandre de Moraes, e do presidente da Companhia de Engenharia de Tráfego, Roberto Scaringella, vistoriou as obras de adequação geométrica no cruzamento da Avenida Ipiranga com a Rua Consolação, no centro.   A obra faz parte de uma pacote de melhorias para melhorar a circulação principalmente de ônibus em grandes vias da cidade. " A CET e a Secretaria de Transportes estão preparando um novo pacote de ações, porque a somatória de pequenas medidas trazem um grande impacto na cidade", adiantou Kassab. Ele também anunciou a inauguração da terceira etapa do Expresso Tiradentes para o dia 18 de maio.   Outra medida em estudo é a ampliação do horário de rodízio em duas horas, tanto no período da manhã quanto da tarde. "Se for demonstrado pela simulação que não adiantará muito em relação ao trânsito não faremos alteração", disse o prefeito. "As soluções estão sendo apresentadas e estão positivas. Não queremos ficar com a injusta imagem de omissos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.