Divulgação
Divulgação

Em campeonato de coquetéis, vence o do Copacabana Palace

Barman do hotel carioca disputou concurso com outros dez profissionais. Sabor cítrico de drinque conquistou os jurados

Paulo Sampaio, O Estado de S.Paulo

10 de novembro de 2010 | 00h00

Melhor chafurdar numa espuma de graviola do que encarar um daqueles coquetéis azuis, com guarda-chuvinhas na borda da taça, que os americanos servem em piscina de resort. Os concorrentes da final do campeonato de coquetelaria Vive La Revolution, realizado anteontem por uma marca de vodca francesa, estavam especialmente imaginativos. "É um coquetel com elementos nordestinos e de finalidade digestiva", afirma José Rocha, do Recife, criador da espuma de graviola. O drinque leva também leite de coco e tapioca.

Selecionados entre 200 concorrentes de seis capitais do País, os dez finalistas, todos de bares, hotéis e restaurantes, tinham sete minutos para apresentar suas criações diante de um júri de cinco especialistas.

O jurado Luiz Cláudio Simões, campeão sul-americano e bicampeão brasileiro de coquetelaria, aproxima o nariz do drinque preparado por Matheus Zandona, de São Paulo, e diz que o aroma predominante é goiaba, fruta que não faz parte da receita. "Caso o jurado não goste de algum ingrediente, nem percebe os verdadeiros componentes, toma pensando na goiaba."

Antes da apresentação, o candidato deve dizer em que bar trabalha, os ingredientes que vai usar e, ocasionalmente, orientar o DJ. "Aumenta um pouco volume", diz o argentino Christian Lamas, que pediu fundo musical estilo "Missão Impossível".

"É um drinque que prepara os sentidos para a refeição", explica Lamas, de terno cinza, cabelos mechados (luzes), pinta de milongueiro. Não convenceu.

Thiago Santos, de Minas Gerais, leva 7m8seg para preparar o drinque. Foi desclassificado. "Quem passa um segundo do tempo está fora", explica o organizador, Pablo Moya, com um cronômetro na mão.

Quase duas horas depois, anunciam o primeiro lugar. Rafel Pizante (foto acima), do Copacabana Palace, começou servindo castanhas para os jurados. "Como todo barman, adoro snacks", diz ele, que ganhou R$ 7 mil e conquistou o prêmio principalmente por causa do sabor cítrico de sua bebida. O segundo e o terceiro lugares não perderam pontos necessariamente pelo drinque, mas também por aspectos técnicos, como um gelo que escapuliu da coqueteleira ou bebidas desniveladas de uma taça para outra.

PERFECTION MARTINI

Ingredientes

50 ml Grey Goose La Poire, 50 ml suco de grapefruit, 20ml Licor 43, angostura de laranja, 10ml licor grego Skynos, 2g bitter de laranja e 1 borrifada de elixir vegetal

Modo de preparo

Deixe as taças de martini no gelo. Coloque todos os ingredientes na coqueteleira e misture. Retire as taças do gelo, borrife o elixir vegetal, coloque a bebida e sirva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.