Em briga familiar, menina é atingida na cabeça por geladeira

Ao impedir marido de sair de casa, mãe fecha a porta com refrigerador, que cai sobre garota em Miguelópolis

Brás Henrique, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2008 | 17h20

Outro incidente envolvendo uma geladeira provocou traumatismo craniano de uma menina de um ano e meio, na madrugada desta terça-feira, 16, em Miguelópolis, na região de Ribeirão Preto. Ela está internada no Centro de Terapia Intensiva (CTI), da Santa Casa de Franca, e exames complementares poderão confirmar na quarta-feira a sua morte cerebral. Na semana passada, um garoto de um ano e sete meses, de Bebedouro, também teve traumatismo craniano após uma geladeira duplex cair sobre sua cabeça, na escola onde ele estava. O menino está em estado gravíssimo, respirando por aparelhos, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), no Hospital e Maternidade Sinhá Junqueira, em Ribeirão Preto.   O incidente com Ana Luísa ocorreu por volta de 3 horas da madrugada, durante uma discussão entre sua mãe, Fabíola da Silva Pedro, e o padastro Marcelo Pinheiro de Souza, de 25 anos. Ele estava embriagado e ameaçou ir embora. Quando foi arrumar suas roupas, Fabíola arrastou a geladeira até a porta, para impedir a saída dele. Na confusão, ele empurrou a geladeira, que caiu sobre a menina, que, assustada, acabava de chegar perto de onde os dois estavam. A garota foi levada ao pronto-socorro da cidade e depois à Santa Casa de Franca.   O delegado Dalmo Mateus Polo registrou boletim de ocorrência por lesão corporal culposa (sem intenção), mas se a menina morrer o caso passará para homicídio culposo, que prevê pena de um a quatro anos de prisão. Porém, Polo aguardará os laudos periciais, para saber se existem outras lesões na menina, pois a versão do casal para o fato era a única até então. Polo informava à tarde que já havia sido constatada a morte cerebral da menina. Porém, a Assessoria de Imprensa da Santa Casa negou e informou que ainda eram necessários alguns exames para se constatar isso.   Sobre o caso do menino de Bebedouro, a Polícia Civil também aguarda o laudo da perícia para dar seqüência à investigação, registrada também como lesão corporal culposa. O Instituto Nova Geração alega que ocorreu uma "fatalidade" e que presta toda a assistência hospitalar ao menino e auxilia a sua família. Henrique teve corte na cabeça e lesão na nuca e a geladeira, de cerca de 100 quilos, teria caído sobre ele quando ia para o banho. Ninguém soube explicar o que aconteceu e a geladeira estava em ótimo estado. Os pais estão abalados com o caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.