Em área nobre, São Paulo ganha seu 50º shopping

Centro de compras abre as portas na Vila Olímpia, perto da Daslu e do Cidade Jardim

Valéria França, de O Estado de S. Paulo,

25 Novembro 2009 | 08h58

Decorador Sig Bergamin preferiu o cromado, o cinza e os espelhos para dar mais conforto ao cliente

 

SÃO PAULO - Região já bem abastecida de lojas e bem servida da capital paulista, a Vila Olímpia ganha hoje um shopping com 6 andares, 187 lojas, 1.587 vagas para carros e 34 opções de lanchonetes, cafés e restaurantes - que ocupam o quarto andar inteiro do prédio. O Shopping Vila Olímpia (Rua Olimpíadas, 360) não é o maior de São Paulo nem o mais chique, mas também está longe de ser apenas mais um. O 50º shopping da cidade surge com uma oferta de serviços e atendimento diferenciados.

 

"O negócio foi montado com foco na receptividade e no entretenimento do cliente", diz Rogerio Miola, superintendente do empreendimento, que é uma parceria entre as incorporadoras Multiplan, Brookfield e Helfer.

 

Alguns problemas comuns aos concorrentes tentaram ser resolvidos no projeto, entre eles a tão conhecida fila de estacionamento. O Vila Olímpia implementou um sistema com painéis que informam aos motoristas quantas vagas estão disponíveis por andar. Em cada piso, nos momentos de decisão de direção, duas outras telas orientam quantas vagas estão livres para direita e para a esquerda. Uma vez nos corredores, a cada quatro vagas, luzes verdes ou vermelhas indicam se há ou não espaços livres para estacionar.

 

O conhecido decorador Sig Bergamin tentou solucionar outra questão incômoda, a da praça de alimentação, geralmente muito barulhenta. "Não coloquei todas as mesas jogadas no centro, mas criei vários ambientes. Além disso, usei madeira no piso e no forro do teto, o que ajuda muito na acústica", conta Bergamin. Parte dos móveis ainda é estofada, aumentando o conforto dos frequentadores.

Nos outros andares, o chão é de granilite. A madeira foi aplicada apenas para compor os lounges, que são poucos. "Usei cinza e cromado para dar um ar hi-tech de fábrica. Saí do dourado, do mármore e das misturebas que ambientes assim geralmente têm", explica Bergamin.

 

Outro ponto forte é o entretenimento. Na praça de alimentação, foi montada a Villa Bowling, inspirada nas melhores casas americanas de boliche. Ela abriga seis pistas, equipadas com bolas importadas e desenhadas pelo estúdio de design Pininfarina, o mesmo dos carros Ferrari. Grandes telões e uma iluminação especial indireta, que vem das pistas, dão um clima quase de balada. Há também um restaurante.

 

No ano que vem, abre um cinema com sete salas do Grupo Severiano Ribeiro/Kinoplex. O Vila Olímpia receberá as primeiras salas VIP da marca. Duas delas especiais, com cem lugares e poltronas de couro reclináveis com apoio para os pés. Também estão programadas a abertura de um teatro com 600 lugares e a inauguração de uma filial da carioca Garcia&Rodrigues, com sede no Leblon, zona sul do Rio. Lá, a casa é um mix de café, restaurante, adega e doceira. E tem muitos clientes famosos, como a atriz Carolina Ferraz, entre outros globais.

 

Números

50 é a quantidade de shoppings na cidade

187 lojas variadas abrem no Vila Olímpia, nenhuma é de grife internacional

1.587 vagas de estacionamento que, no novo shopping, serão informatizadas, com sistema especial para evitar filas

34 lanchonetes, restaurantes e cafés

Mais conteúdo sobre:
shopping vila olímpia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.