Em Altinópolis (SP), prefeitura corta água sem hora marcada

População reclama que, como é pega de surpresa, não tem como se planejar

Rene Moreira, especial para o Estado,

06 Fevereiro 2014 | 14h41

Em Altinópolis, interior de São Paulo, a queda na produção de água e o aumento no consumo levaram a prefeitura a racionar o fornecimento à população. O problema, reclamam os moradores, é que não existe uma hora certa para as torneiras secarem.

No município, o racionamento ainda não é oficial e, por isso, a água pode acabar a qualquer momento, o que impede que a população se planeje para o período de seca.

A administração municipal alega que o município depende quase que exclusivamente da água da chuva, cujo índice está 74% abaixo do previsto para esta fase.

Cachoeira. A falta de chuva em Altinópolis reflete em seu principal ponto turístico, a Cachoeira do Itambé. Acostumada a jorrar continuamente grande quantidade de água, ela secou completamente e não despeja mais nenhuma gota sobre a gruta que leva o mesmo nome.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.