Em 85, tudo dominado por metaleiros

Quando as atrações do primeiro Rock in Rio foram anunciadas, a molecada que curtia um jeans estropiado e bottons na jaqueta não acreditou. AC/DC, Scorpions, Whitesnake, Iron Maiden e o lendário ex-vocalista do Black Sabbath, Ozzy Osbourne, estariam em terras brasileiras. E, sonho dos sonhos, todos (exceto o Iron Maiden) estariam juntos num único dia.

ROSE SACONI, EDMUNDO LEITE, O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2011 | 03h02

A nata do heavy metal faria do ensolarado 19 de janeiro de 1985 carioca um sábado negro digno dos melhores contos da cripta. Com a moral de ser ex-vocalista do Deep Purple, David Coverdale mostrou que seu Whitesnake tinha carisma e que na alma metaleira também bate um coração apaixonado com hits como Love aint No Stranger. Ozzy entrou em seguida e arrasou.

Mesmo com todo o peso das guitarras, os alemães do Scorpions eram outros que também tinham um hit romântico. Still Loving You era onipresente nas rádios por aqueles dias.

A apoteose viria com disparos de canhões, sinos gigantes, um guitarrista ensandecido com vocal rasgante. O AC/DC de Angus Young desfilou clássicos atrás de clássicos.

Os metaleiros predominaram no festival de 1985 e agradaram aos mais fanáticos do heavy metal. Os fãs de Iron Maiden, Scorpions, Ozzy, AC/DC chegaram a ensaiar uma declaração de guerra aos roqueiros tradicionais. Jogaram pedras e latas de cerveja em alguns artistas. A guerra, felizmente, não foi adiante. Os Paralamas, por exemplo, brilharam e assinaram um tratado de paz com os mais exaltados.

Com Queen, James Taylor, Nina Hagen e bandas de heavy metal, o primeiro Rock in Rio foi um sucesso.

VINTAGE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.