Em 5 meses, multa por invasão de faixa exclusiva é sete vezes maior que 2012

Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), 310.938 atuações foram aplicadas entre janeiro e maio deste ano

Rafael Italiani, O Estado de S. Paulo

17 de junho de 2014 | 14h42

Atualizada às 19h57

SÃO PAULO - Com o avanço na implementação de faixas exclusivas de ônibus, a quantidade de multas aplicadas aos motoristas que invadem o espaço à direita, entre janeiro e maio, já é sete vezes maior que o total de autuações em todo o ano de 2012, quando o ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD) começou a implementar a medida. 

De acordo a Prefeitura, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) aplicou 310.938 atuações nos cinco primeiros meses deste ano (mais de uma por minuto), ante 42.770 registradas há dois anos: aumento de 727%. O motorista que é flagrando utilizando uma faixa exclusiva de ônibus é multado em R$ 53,20, com perda de 3 pontos na carteira nacional de habilitação (CNH). 

Fiscais. Segundo o prefeito Fernando Haddad (PT), a multa por invasão de faixa exclusiva “foi a que mais cresceu” em São Paulo por causa dos novos equipamentos de fiscalização. Além disso, também há a estratégia de dar prioridade ao transporte público não apenas com as vias à direita para ônibus, mas também com uma fiscalização voltada para motoristas que desrespeitam os coletivos. “Nós tivemos uma grande licitação de radares que estão sendo instalados. Eles estarão em toda a cidade, com foco no transporte público, em faixas exclusivas de ônibus”, afirmou o prefeito na manhã desta terça-feira, 17, durante a inauguração de uma de praça na Cidade Tiradentes, zona leste. 

Atualmente, São Paulo tem 1.854 marronzinhos para aplicar as multas. Para reforçar a fiscalização, a gestão Haddad habilitou mais 690 agentes da São Paulo Transporte (SPTrans). Anteriormente, os fiscais apenas orientavam o trânsito dos ônibus e aplicavam multas nas concessionárias e cooperativas (atrasos em partidas e viagens a menos, por exemplo). Ainda de acordo com a Prefeitura, dos 601 radares em operação em São Paulo, 82 fiscalizam também as faixas exclusivas e os corredores de ônibus. Em breve, além dos fiscais e do reforço de novos radares (a Prefeitura já contratou 843 equipamentos), a fiscalização também será reforçada pelos próprios ônibus. O novo contrato de concessão do transporte coletivo, que ainda não tem data para ser assinado, prevê que os veículos tenham câmeras. “A pessoa que invadir a faixa vai saber que o ônibus de trás está filmando a placa. O motorista vai ter a certeza da punição”, afirmou o prefeito Fernando Haddad. 

Em breve, além da maior quantidade de radares e marronzinhos da CET, a Prefeitura terá um novo aliado no combate aos motoristas que invadem a faixa de ônibus. O novo contrato de concessão da São Paulo Transporte (SPTrans), prevê que os coletivos tenham câmeras para filmar os infratores. "A pessoa que invadir a faixa vai saber que o ônibus de trás está filmando a placa. O motorista vai ter a certeza da punição", afirmou o prefeito Fernando Haddad. 

Se as atuações continuarem no mesmo ritmo, em breve a quantidade de multas por invasão de faixas exclusivas vai superar o total de multas do ano passado inteiro, quando 393.114 infrações foram registradas na capital. Na comparação com 2013, entre janeiro e maio de 2014 a CET já alcançou 79,1% do total de multas aplicadas no ano passado. No comparativo do ano passado com 2012, o aumento na quantidade de infrações por invasão de faixas exclusivas foi de 819,1%, de acordo com dados oficial. A Prefeitura também afirmou que a reestruturação das Gerências de Engenharia de Tráfego (GETs) também colaborou com o aumento da fiscalização. Com a mudança, segundo a administração municipal, o monitoramento do trânsito e das rotas foi ampliado “para abranger regiões mais distantes do centro expandido”. 

As faixas exclusivas de ônibus começaram a ser implementadas pelo ex-prefeito Kassab ao longo de 2012. No início de junho daquele ano, eram apenas 71 km. Haddad intensificou a política em seu primeiro ano de mandato, principalmente durante os protestos contra o aumento da tarifa, há um ano. 

Corredores. Já nos corredores, de acordo com a Prefeitura, entre janeiro e maio foram aplicadas 123.477 multas por invasão do lado esquerdo das vias. A autuação, considerada grave, rende multa de R$ 127,69 e 5 pontos na carteira. O total de infrações dos cinco primeiros meses de 2014 representa 42,2% das atuações de 2012. Houve um aumento de 9,4% entre o ano passado (320.434) e 2012 (292.910). Um dos fatores que contribuem para a estabilidade nas autuações em corredores de ônibus é a falta de ampliação da malha viária - de 120,9 km.

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.