Em 5 dias, chove mais que o previsto para o mês em Salvador

Até 4ª choveu 440mm ante média de 326mm para abril; criança morreu soterrada e cidade decretou emergência

Tiago Décimo, O Estado de S.Paulo

22 Abril 2009 | 18h26

Salvador teve nos últimos cinco dias mais chuva do que o esperado para todo o mês, segundo a Defesa Civil da cidade. A chuva acumulada no mês chegou a 440 milímetros ante os 326 milímetros previstos para abril, com base na média histórica. Entre sexta e esta quarta-feira, 22, choveu 370 milímetros. E, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão é que as chuvas se mantenham até o fim de semana. A chamada estação chuvosa na Bahia deve seguir até agosto.

 

Veja também:

linkSalvador decreta situação de emergência por causa das chuvas

linkBebê morre soterrado após forte chuva em Salvador

 

Foram registrados 16 desabamentos de imóveis, até esta manhã, entre eles o de um casarão secular, no bairro do Comércio. Os deslizamentos de terra chegam a 19 apenas nesta quarta - são 224 no total. De acordo com a Codesal, 30 famílias estão desabrigadas e há cerca de 400 áreas de risco de deslizamento na cidade.

 

A primeira vítima das chuvas na capital baiana foi um bebê. A criança de um mês e 11 dias morreu e duas pessoas, entre elas a mãe da criança, ficaram feridas depois que a casa na qual moravam, no bairro da Gamboa de Baixo, foi atingida por um deslizamento de terra, na noite de terça-feira. Os três, feridos, foram encaminhados para o Hospital Geral do Estado (HGE), mas a menina, Mirela Carine Conceição dos Santos, não resistiu e teve a morte confirmada nesta manhã. A mãe, Carla da Conceição, de 30 anos, foi medicada e recebeu alta. Seu companheiro, Wellington Santos, de 26, continua internado.

 

Além deles, uma mulher de 92 anos foi atingida na cabeça por um galho de árvore que se desprendeu quando ela passava na frente do Hospital das Clínicas, no bairro do Canela, nesta manhã. A idosa foi encaminhada ao HGE, onde foi diagnosticado traumatismo craniano. De acordo com os médicos, seu estado de saúde é grave.

 

Por causa da situação, o prefeito, João Henrique Carneiro (PMDB), decretou situação de emergência na cidade - e encontrou-se, à tarde, com o vice-governador, Edmundo Pereira, para entregar o decreto, na tarde de hoje, para que ele seja analisado. "Precisamos de verbas emergenciais, que não passem pela burocracia estatal, para conter os estragos dessa chuva, e é necessário o reconhecimento do governo para isso", alega. "Temos mais de 100 encostas precisando de trabalhos urgentes de contenção. Elegemos 18 delas como prioritárias."

 

Segundo a assessoria do governo, equipes técnicas da Defesa Civil do Estado vão fazer, nos próximos dias, visitas técnicas nos locais indicados pela prefeitura, para que haja a homologação do decreto - que daria acesso às verbas pretendidas, ainda a serem calculadas. "O decreto emergencial será homologado o mais rápido possível", diz o vice-governador. No encontro, ficou acertado que o Estado vai oferecer colchões, cobertores e lonas para as famílias desabrigadas, além de ajudar na limpeza dos canais do município.

 

Por causa das chuvas, a Federação Baiana de Futebol decidiu cancelar os dois jogos programados para esta noite, em Salvador, válidas pelas semifinais do Campeonato Baiano. As partidas (Bahia X Fluminense de Feira de Santana e Vitória X Atlético de Alagoinhas) foram remarcadas para a noite de quinta-feira, 23.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.