Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Em 4 meses, acidentes nas Marginais de SP sobem 48%, diz PM

Foram 503 ocorrências contra 339, comparando os dados de janeiro a abril; órgão da Prefeitura contesta metodologia da corporação estadual

O Estado de S.Paulo

23 Maio 2017 | 23h41

 SÃO PAULO - As Marginais do Tietê e do Pinheiros registraram um aumento de 48% na quantidade de acidentes com vítimas nos quatro primeiros meses deste ano em comparação ao mesmo período do ano passado. Foram 503 ocorrências contra 339, comparando os dados de janeiro a abril. Os números divulgados pelo Comando de Policiamento de Trânsito da Polícia Militar são alvo de crítica da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), da Prefeitura, que contesta a metodologia usada pela corporação.

O balanço foi antecipado pelo jornal Folha de S. Paulo. De acordo com o relatório, houve crescimento nos casos envolvendo motocicletas (de 251 para 402), além do número de óbitos em razão das colisões: seis em 2016 ante dez neste ano. A PM atende ocorrências nas duas marginais e nas alças e pontos que dão acesso às vias.

 

O tema é objeto de polêmica desde que o prefeito João Doria (PSDB) resolveu aumentar, em 25 de janeiro, a velocidade máxima nas duas Marginais. As vias haviam tido velocidade reduzida sob a gestão do ex-prefeito Fernando Haddad (PT), que sustentava oferecer mais segurança e menos engarrafamento com a medida.

 

Em nota, a CET disse que a PM “usa uma metodologia diferente e leva em consideração acidentes nas alças de acesso e nas pontes, locais onde não houve readequação de velocidade”. “A pesquisa aponta ainda casos de acidentes envolvendo caminhões, em que houve um aumento mesmo sem haver alteração na velocidade máxima para esse modal”, ponderou a companhia.

 

O órgão também rebateu a suspeita de que o aumento da velocidade seja o causado do maior número de acidentes. “Somente com uma base de comparação histórica é possível traçar um cenário mais completo com relação ao número e causa dos acidentes. Até agora, nenhum dos acidentes fatais ocorridos este ano, por exemplo, sugere a velocidade como causa.”

 

A companhia acrescentou, por fim, que o programa Marginal Segura aumentou em 67% o número de agentes nas marginais, “o que resultou em uma alta de registros de ocorrências”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.