Em 3 dias, 18 são internados em mutirão na cracolândia em SP

Programa de internação compulsória de usuários de drogas também registrou 257 acolhimentos

Caio do Valle, O Estado de S.Paulo

24 Janeiro 2013 | 13h23

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse nesta quinta-feira, 24, que, nos três primeiros dias do programa de internação compulsória de usuários de drogas na cracolândia, no centro, foram feitas 18 internações de dependentes. Ao todo, também houve 257 acolhimentos.

O dia com o maior número de atendimentos foi a quarta-feira, 23. "(Foram) 48 ligações, 47 acolhimentos e 11 internações, três involuntárias, uma compulsória e sete voluntárias", afirmou Alckmin, durante entrega de trens em Osasco, na Grande São Paulo.

Iniciado, na segunda-feira, 21, quando foram feitos 39 acolhimentos e cinco internações, o programa é uma parceria entre o governo do Estado e o Tribunal de Justiça de São Paulo, que mantém um plantão judiciário no local, para facilitar casos de internação. Anteontem, houve 47 acolhimentos e 11 internações, das quais três foram involuntárias e uma compulsória.

Pessoas com dependência de crack são encaminhadas para o Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas (Cratod).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.