Em 2011, são 1.534 pedidos de refúgio. E nenhum atendido

O Conare, vinculado ao Ministério da Justiça, recebeu 1.534 solicitações de refúgio de haitianos neste ano. Mas não vai atender: refúgio é dado em casos como perseguição religiosa, política e racial. No caso dos haitianos, o motivo é uma catástrofe natural.

Marici Capitelli, O Estado de S.Paulo

26 de junho de 2011 | 00h00

Segundo o órgão, as solicitações têm sido encaminhadas para o Conselho Nacional de Imigração (CNig), do Ministério do Trabalho e Emprego. A pasta já concedeu 436 vistos de permanência para haitianos no País, mas considera insustentável essa imigração desmedida.

Quando chegam aos postos de fronteira da Polícia Federal, os haitianos fazem o pedido de refúgio. Eles conseguem um protocolo provisório por 90 dias, renovado à medida que o Conare analisa os pedidos. Procurados, os órgãos envolvidos na questão dos imigrantes repassaram o problema um para o outro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.