Em 2009, cenas de agressão

Esse não é o primeiro incidente envolvendo os serviços prestados pela SuperVia, que inclui atrasos de trens, problemas de manutenção e carros lotados.

O Estado de S.Paulo

10 de fevereiro de 2012 | 03h06

Em abril de 2009, durante uma greve promovida pelos ferroviários, agentes de controle da empresa agrediram passageiros na Estação de Madureira.

Os funcionários tentavam manter fechadas as portas da composição, lotada em decorrência da paralisação, e improvisaram chicotes utilizando a guia do apito, feita de náilon, distribuindo golpes aleatoriamente.

Em dezembro do ano passado, o primeiro trem modernizado da nova frota da concessionária foi inaugurado com falhas. Na época, um problema no sistema de ar-condicionado forçou os passageiros, incluindo o secretário estadual de Transportes, Júlio Lopes, e o presidente da SuperVia, Carlos José Cunha, a trocar de vagão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.