Em 2007, local foi interditado

Em 2007, as paredes e a estrutura da igreja - feitas de barro no século 18 - foram condenadas por trazer risco aos frequentadores. Neste mesmo ano, o Departamento de Controle do Uso de Imóveis (Contru), da Prefeitura, interditou o edifício e, desde então, ele segue fechado para o público.

O Estado de S.Paulo

29 de novembro de 2012 | 23h51

A partir de 2009, o governo do Estado iniciou um projeto de recuperação, que custou R$ 5 milhões. A estrutura do telhado foi estabilizada e modernizada, os forros e pisos foram reforçados e as paredes, consolidadas.

Também foi feita a adequação dos ambientes para portadores de necessidades especiais e para novos usos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.