Em 2 horas, São Paulo fica 8,9°C mais fria

O frio vai continuar nos próximos dias; no Sul do País, deve ocorrer até 'geada negra'

O Estado de S.Paulo

20 Julho 2013 | 02h08

A chegada de uma intensa onda de ar polar, com neve e chuva no Sul a partir de domingo, fará os termômetros despencarem em todo o País na próxima semana. Na capital paulista, onde a temperatura caiu ontem 8,9ºC em pouco mais de duas horas, a previsão é de que, a partir de amanhã, seja registrada a temperatura mais baixa do ano.

Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), a temperatura no Itaim Paulista, na zona leste da capital, caiu de 24,8º C, ao meio-dia, para 15,9ºC às 14h20. Hoje, a previsão é de que o dia comece nublado, com possibilidade de pancadas de chuva de fracas e moderadas à tarde. Os termômetros na capital devem marcar entre 16ºC e 24ºC, com leve aumento amanhã (18ºC a 24ºC), segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O dia mais frio na cidade até agora foi registrado em 9 de maio, com 10,5ºC, segundo medição feita no Mirante de Santana, na zona norte. Na terça-feira, essa marca pode ser superada, com previsão entre 9ºC e 13ºC. No interior, há a possibilidade de geada.

Chuva no Rio. O início da programação da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), na segunda, coincide com a queda das temperaturas e chegada de chuva à capital fluminense. Segundo o Inmet, deve chover o dia todo na terça-feira e no início da quarta, com temperaturas entre 12°C e 21ºC.

No Sul, o frio pode causar estragos. O Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Ciram) alerta ainda para a possibilidade de "geada negra" no Estado, que leva ao congelamento interno das plantas e causa grandes prejuízos para a agricultura.

O fenômeno raro, que ocorreu no Paraná em 1975 e dizimou a produção de café daquele ano, acontece com a combinação de ar extremamente frio e seco com vento de intensidade moderada a forte. Em contato com a vegetação, congela a parte interna do caule da planta, onde circula a seiva.

"Quando há umidade, a água forma cristais de gelo. Quando está muito seco, porém, as plantas não ficam esbranquiçadas, elas queimam e morrem", explica o engenheiro agrícola Jurandir Zullo Junior, da Unicamp. "Como as plantações ficam escurecidas, esse tipo de fenômeno é chamado de geada negra."

Segundo o Ciram, isso pode acontecer a partir de terça nas áreas altas das regiões oeste, meio-oeste, Planalto Sul e Planalto Norte catarinenses. Em municípios como Urupema, Urubici, Painel, Bom Jardim da Serra e São Joaquim, a temperatura deve chegar a 8ºC negativos.

No Rio Grande do Sul, é esperada a incidência de neve e chuva congelada a partir de hoje. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a temperatura deve chegar a 6ºC negativos no Estado na próxima semana. No Paraná, a temperatura deve variar entre 13°C e 3ºC negativos na próxima terça-feira. / BRUNO DEIRO, TIAGO DANTAS, ELDER OGLIARI E JÚLIO CASTRO, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.